Máquinas nobres

A prestadora de serviços para mineração BSHPU triplicou sua taxa de desenvolvimento mensal na mina de Artemyevsky, no Cazaquistão, com alguns equipamentos novos e um acordo de serviços com a Sandvik Mining and Rock Technology.

“É preciso estar preparado para sobreviver aqui”, afirma Evgeny Reimer, gerente de Serviços da Sandvik para o Cazaquistão, enquanto dirige seu veículo através de uma espessa tempestade de neve. “É um lugar difícil de se viver e trabalhar. Bem-vindo ao leste do Cazaquistão.”

O Cazaquistão Oriental pode parecer hostil nessa época do ano, mas nem sempre é assim. Diferentemente de outras regiões do país, a parte oriental não é desértica, graças às belíssimas Montanhas Altai, localizadas na interseção da Rússia, China, Mongólia e Cazaquistão. A face ocidental dessas montanhas é excepcionalmente rica em minério, e é aí que se situa o depósito polimetálico Artemyevsky, no centro geográfico da Eurásia.

Descoberto em 1958, o seu desenvolvimento começou como uma mina a céu aberto, mas ao longo do tempo foi transformado em uma mina subterrânea em grande escala, com três “shafts” e 13 níveis. Todos os anos, são extraídos até 1,5 milhão de toneladas de minério de cobre, zinco e chumbo.

O importante projeto em andamento é a construção da segunda fase da mina Artemyevsky, que permitirá extrair minério do depósito até 2032. A proprietária da mina levou vários anos para planejar cuidadosamente e obter todas as autorizações dos órgãos reguladores locais. Em meados de 2015 tudo estava pronto e um prestador de serviços de confiança precisava ser selecionado. Como resultado de uma licitação pública, a proprietária da mina assinou um contrato com a BSHPU-Kazakhstan, subsidiária da empresa russa Bashkir Shaft-Sinking Management (BSHPU), líder em prestação de serviços em minas subterrâneas nos países pós-soviéticos.

Ambição oriental
A BSHPU é originalmente uma produtora, mas a maior parte do seu lucro é gerada por contratos de desenvolvimento e construção para outras empresas de mineração. Fundada em 1985, a BSHPU possui grande experiência em minas subterrâneas, com mais de 20 projetos em seu portfólio, e lida com quase todas as tarefas imagináveis ​​relacionadas à mineração subterrânea. Hoje, a BSHPU e a sua subsidiária BSHPU-Kazakhstan LLP operam em três países – Rússia, Cazaquistão e Uzbequistão. Em 2015, as empresas do grupo empregavam cerca de 2.500 pessoas. O seu volume de negócios total ultrapassou US$ 40 milhões.

O contrato inicialmente abrangeu o desenvolvimento de vários “shafts”, com volume de extração total superior a 65 mil metros cúbicos de rocha durante 2016.

“Um projeto tão ambicioso não poderia ser realizado sem equipamentos adicionais de alto desempenho”, destaca Evgeny Kolyada, diretor de Projetos da BSHPU-Kazakhstan. “E sabíamos que queríamos máquinas Sandvik. Elas trabalham em nossas operações na Rússia e no Cazaquistão e, acreditem, nenhum outro fabricante oferece equipamentos de mineração autopropulsados com vida útil e confiabilidade comparáveis.

Sobre a BSHPU

A Bashkir Shaft-Sinking Management (BSHPU Plc) foi criada em 1985 como uma empresa especializada no desenvolvimento de minas subterrâneas e estruturas de mineração na superfície. Inicialmente, concentrou-se em projetos na República do Bascortostão – as encostas ricas em minérios dos Montes Urais que separam a Europa da Ásia. Hoje, a BSHPU e sua subsidiária BSHPU-Kazakhstan LLP operam em três países – Rússia, Cazaquistão e Uzbequistão. Em 2015, essas empresas empregavam cerca de 2.500 pessoas. O volume de negócios total do grupo ultrapassou US$ 40 milhões.

A BSHPU atua como prestadora de serviços para as principais empresas de mineração dos países da CEI e também como produtora. Suas operações em depósitos polimetálicos na Rússia e no Cazaquistão agregam estabilidade financeira e força à organização. A experiência da BSHPU abrange a abertura de poços, “raises” e desenvolvimento de galerias.

Além disso, a Sandvik ofereceu condições financeiras muito boas. Não restou nenhuma dúvida.”

A BSHPU adquiriu uma frota de novos equipamentos móveis Sandvik, incluindo os jumbos de desenvolvimento Sandvik DD311 e Sandvik DD321, duas carregadeiras Sandvik LH410 e três caminhões subterrâneos Sandvik TH320, que são complementados por uma carregadeira Toro 006 e um caminhão EJC 417 que a empresa já possuía.

Os equipamentos foram comissionados em março de 2016 e a produção disparou rapidamente.

“A entrega dessas novas máquinas foi decisiva”, conta Alexander Salavatulin, mecânico-chefe da BSHPU-Kazakhstan. “O ritmo de desenvolvimento aumentou de 100 para 300 metros por mês. Essa taxa é um grande feito, considerando a geologia complexa da mina Artemyevsky.”

Um projeto tão ambicioso não poderia ser realizado sem equipamentos adicionais de alto desempenho

Uma ida ao subsolo mostra exatamente o que Salavatulin quer dizer. Ele aponta para a as paredes das galerias, ancoradas com camadas de madeira maciça juntamente com estruturas de aço.

Horizon 13 é o nível mais profundo em Artemyevsky, a 400 metros abaixo do nível do mar. O rápido desenvolvimento está em curso, e os operadores da BSHPU-Kazakhstan trabalham com os seus equipamentos Sandvik para cumprir as metas de produção.

“Eu gosto da nova máquina”, ressalta Vitaly Pichurin, operador do jumbo de desenvolvimento Sandvik DD311. “É ágil e muito potente. E há todas essas características de segurança que são bem pensadas e implementadas. Aqui eu tenho material antiderrapante cobrindo os degraus e corrimãos, que também são úteis. Existem três botões de parada de emergência em diferentes lados da máquina para que eu ou um colega possamos imediatamente desativá-la se algo der errado. A cabine é confortável e nos faz sentir seguros. Possui sistema de ajuste da altura do teto de segurança, que suporta o peso de várias toneladas.

“São máquinas nobres – é assim que as descrevo”, resume Alexey Gorlach, o encarregado de desenvolvimento da BSHPU-Kazakhstan. “Nosso trabalho nem sempre é fácil, mas operar equipamentos Sandvik gera um sentimento muito valioso de dignidade.”

Suporte local
Outro ponto da cooperação com a Sandvik, destacado pelos colegas da BSHPU, é o suporte ao produto e o serviço que o fornecedor oferece.
De acordo com o contrato de serviço assinado pela BSHPU-Kazakhstan com a Sandvik, um representante de suporte ao produto fica na mina.
Seu papel é supervisionar as operações durante os turnos e monitorar a condição do equipamento, fazendo qualquer ajuste necessário. Quando a manutenção é necessária, ele providencia a entrega rápida de peças de reposição e consumíveis a partir de um dos três depósitos da Sandvik na região.

<p>Rica em minério, a mina Artemyevsky produz 1,5 milhão de toneladas por ano de zinco, cobre e chumbo. </p>

Rica em minério, a mina Artemyevsky produz 1,5 milhão de toneladas por ano de zinco, cobre e chumbo.

<p>A equipe de operários do local aprecia as características de segurança do equipamento Sandvik.</p>

A equipe de operários do local aprecia as características de segurança do equipamento Sandvik.

<p>O tempo de funcionamento médio do equipamento Sandvik da BSHPU é de cerca de 20 horas por dia, graças ao suporte ao produto.</p>

O tempo de funcionamento médio do equipamento Sandvik da BSHPU é de cerca de 20 horas por dia, graças ao suporte ao produto.

“Nosso depósito principal fica na capital regional Oskemen, enquanto dois menores estão perto das instalações de manutenção dos nossos clientes”, afirma Reimer. “Isso nos permite disponibilizar consumíveis e a maioria das peças de reposição na hora que são necessárias e entregar o restante com o mínimo de atraso. Adiciona flexibilidade ao nosso sistema de manutenção. Estamos lá para ajudar nossos clientes, sejam quais forem as circunstâncias.”

Um dos depósitos adicionais fica perto da oficina de manutenção da proprietária da mina Artemyevsky.

“É realmente muito conveniente”, diz Alexander Vinnichenko, chefe da oficina. “Temos várias máquinas Sandvik à nossa disposição, e ter os consumíveis é realmente útil. Caso contrário, seríamos dependentes de fatores externos, como o clima. E ele pode ser bastante duro aqui.”

Kolyada diz que a empresa está satisfeita com o sistema de suporte e manutenção da Sandvik. “Graças a isso, o tempo de atividade médio de nossas máquinas é de 20 horas por dia”, ressalta.

Os resultados impressionantes alcançados pela BSHPU-Kazakhstan em 2016 garantiram uma renovação para 2017. A construção da segunda fase da Artemyevsky está prevista até 2020.

“Há mais trabalho a ser feito aqui, e estamos ansiosos por isso – com a ajuda das máquinas da Sandvik, é claro”, afirma Kolyada. “Agora estamos mudando todos os nossos projetos para equipamentos Sandvik, tornando-a nosso único fornecedor. De acordo com nossos cálculos, é a solução com melhor custo-benefício. É preciso muita confiança para se comprometer com um único fornecedor, mas temos certeza de que a Sandvik vai nos apoiar.”

Solução Sandvik

A BSHPU-Kazakhstan foi contratada para escavações horizontais na mina Artemyevsky, extraindo 65 mil m3 de rocha somente em 2016. Ela investiu em uma nova frota de equipamentos Sandvik para atender às necessidades do contrato, incluindo dois jumbos de desenvolvimento (Sandvik DD311 e Sandvik DD321), duas carregadeiras Sandvik LH410 e três caminhões subterrâneos Sandvik TH320. Além disso, a BSHPU assinou um contrato de serviços com a Sandvik Mining and Rock Technology para apoiar a frota.