Byrnecut Australia conhece a perfuratriz

Austrália Ocidental. A Byrnecut Australia mantém o trabalho em dia na mina de ouro Jundee, da Northern Star Resources. E a tecnologia de perfuração subterrânea automatizada de última geração ajuda a empresa a se manter à frente da concorrência.

Keith Law não mente sobre o quão remota é a mina de ouro Jundee.

“Estamos bem no meio da Austrália Ocidental”, afirma Law, gerente de Projeto do contrato da Byrnecut Australia na operação. “Estamos um pouco isolados aqui.”

Localizada a 50 quilômetros da pequena cidade de Wiluna e a 1.150 quilômetros por estrada – ou um vôo de duas horas – de Perth, Jundee é realmente isolada. Mas, desde que a produção começou, em 1995, a mina fez o trajeto valer a pena para as empresas de mineração, produzindo mais de 7 milhões de onças de ouro.

A Northern Star Resources comprou a Jundee do seu terceiro proprietário, Newmont, em 2014, um marco em uma série de aquisições, afirmando seu lugar como a terceira maior produtora de ouro da Austrália. Desde então, a empresa revela sempre uma nova mineralização através da perfuração de exploração intensa.

“De acordo com o plano original, a Jundee estaria encerrando suas atividades e fechando os portões”, conta Law. “A Northern Star encontrou mais minério e ganhamos mais dez anos de sobrevida.”

Durante o último trimestre de 2016, a Jundee produziu 59.527 onças de ouro – quase metade das 124.871 onças produzidas pela Northern Star durante o trimestre.

A Byrnecut Australia é responsável por toda a mineração subterrânea e manutenção da frota na operação, enquanto a Northern Star cuida dos projetos de mina e dos desmontes, da geologia de produção, do planejamento geotécnico e de mineração. A Byrnecut Australia está presente na Jundee há mais de 15 anos, com os vários proprietários da mina, e o contrato atual com a Northern Star é um dos maiores projetos ativos da empresa.

Prosperando, não sobrevivendo
Durante a recessão, em que muitas empresas de mineração simplesmente tentaram sobreviver, a Byrnecut Australia prosperou. O diretor de Planejamento, Pat Boniwell, cita vários fatores que influenciaram o sucesso da empresa.

Byrnecut Australia

A Byrnecut Australia, parte do Grupo Byrnecut de 2.500 colaboradores, foi criada em 1987 como prestadora de serviços especialista em mineração subterrânea. Hoje, ela é a maior empresa de mineração mecanizada da Austrália, fornecendo serviços de mineração subterrânea em vários projetos importantes do país. Entre os contratos da Byrnecut Australia estão desenvolvimento e produção de minas e serviços de gerenciamento de projetos, abertura de “raises”, perfuração, abertura de “shafts”, projeção de concreto, projeto de minas e trabalho de viabilidade. A empresa escavou 56,1 km de desenvolvimento e entregou 11,2 milhões de toneladas de minério para clientes em 2016, perfurando 988,937 metros de produção e transportando 50,7 milhões de TKMs no processo.

“Nosso negócio é mais focado em ouro, o que ajudou, uma vez que ele resistiu melhor à crise do que outras commodities”, ressalta Boniwell. “Mais importante do que isso é contarmos com colaboradores talentosos e experientes e com grandes clientes que possuem operações realmente robustas. Somos apoiados por fornecedores fortes com contratos de longo prazo, e esses relacionamentos são extremamente importantes para nós.

“Incentivamos a inovação dos nossos fornecedores, o que nos ajuda a permanecer competitivos e continuar agregando valor para nossos clientes. Se deixarmos de fazer isso, deixaremos de existir como prestador de serviços, por isso é extremamente importante. Estamos sempre procurando a próxima oportunidade de implementar tecnologia de ponta para melhorar nossas operações, seja sob a perspectiva de segurança, de produtividade ou de custo.”

A Byrnecut conta com equipamentos de perfuração Sandvik para alcançar metas de desenvolvimento e produção em projetos na Austrália e no exterior há quase três décadas.

“Como organização, acho que compramos nossa primeira perfuratriz Sandvik em 1988, ou seja, tem sido um relacionamento longo e saudável para ambas as partes”, diz Boniwell. “Nós usamos Sandvik, especialmente na área de perfuração, por quase todos esses 30 anos.”

Perfuração Next Generation
A Byrnecut Australia testou o mais recente jumbo de desenvolvimento inteligente da Sandvik, o Sandvik DD422i, em outro contrato na Austrália Ocidental no início de 2015, com o objetivo principal de validar seus novos conceitos de perfuração e cabine.

Sandvik DD422i

O Sandvik DD422i é um sistema de controle inteligente baseado em equipamento de desenvolvimento projetado para oferecer desempenho máximo, precisão e confiabilidade para perfuração subterrânea e construção de túneis em pequena escala. O jumbo possui uma ampla gama de funções de perfuração automática para aumentar a produtividade e reduzir custos. Desenvolvido especificamente para perfuração de desenvolvimento inteligente, o Sandvik DD422i é compatível com os conceitos “Sandvik AutoMine Remote Monitoring” e “Sandvik AutoMine Drilling”. Equipado com o “Sandvik Intelligent Control System Architecture” (SICA), o equipamento tem recursos para perfuração de face totalmente automatizada, sistemas de controle de perfuração e braço otimizados e ferramentas abrangentes para planejamento, relatórios e análises de perfuração.

Boniwell admite que a empresa pode ter negligenciado inicialmente o valor que as inovações tecnológicas do equipamento provariam entregar.

“No início, estávamos mais focados na nova plataforma e em obter maior confiabilidade”, ele conta. “O que se tornou aparente rapidamente foi que, nesse novo produto, a integração da mais recente tecnologia na robusta plataforma de perfuração tinha sido feita melhor do que nunca. Isso nos deu confiança para começar a priorizar a automação, o controle do equipamento, a menor intervenção na máquina com o controle manual, e a união de tudo isso. A interface do operador é mais intuitiva, então nossos colaboradores aceitaram a unidade e a tecnologia.”

A Byrnecut Australia levou o equipamento para Jundee em 2015 para testar seus benefícios de automação.

“Não demorou muito para percebermos que esse equipamento iria afetar nosso negócio de forma positiva e nos trazer grandes vantagens de custo e produtividade”, afirma Law.

Durante um teste de três meses em Jundee, o Sandvik DD422i perfurou 60 mil metros a mais por mês. Os custos de consumíveis caíram 25% graças a uma vida útil mais longa e a Byrnecut Australia reduziu pela metade a sua sobre-escavação. O novo sistema de controle de perfuração melhorou significativamente a produtividade e a precisão, ajustando a potência de perfuração dinâmica baseada em condições de rocha e eliminando a necessidade dos operadores modificarem os parâmetros de perfuração.

Mais de um ano depois, o Sandvik DD422i permanece responsável por todo o desenvolvimento da mina.

“Ser capaz de controlar com extrema precisão o nível de sobre-escavação dentro das tolerâncias projetadas tem sido fantástico”, destaca Boniwell. “As economias adicionais que conseguimos com menos tempo de suporte no solo, tempo de ciclo e dimensionamento, por exemplo, foram melhores do que esperávamos, e conseguimos obter ganhos usando a automação entre os turnos. Portanto, mesmo sem os operadores presentes, conseguimos manter o jumbo perfurando consistentemente no modo automático.

“Cada metro adicional que você obtém na perfuração automática representa mais produtividade e rentabilidade”.

Abraçando a automação
O jumbo Sandvik DD422i perfura até 20 furos durante uma troca de turno em Jundee, e a Byrnecut Australia também tira proveito de sua automação durante períodos de desmonte e ventilação. Os operadores usam algumas funções automatizadas durante seus turnos para obter resultados de perfuração mais consistentes.

Ryan Selfe, operador de jumbo da Byrnecut Australia, rapidamente adotou a tecnologia do novo jumbo e aprecia os benefícios que lhe permitem economizar tempo, como não ter que marcar a face antes de começar a perfurar.

“Tudo o que faço é colocar uma cruz na face e a direção, e depois escrever todos os dados no sistema do computador. Você começa a perfurar em cinco minutos”, diz Selfe. “É muito fácil de usar.”

O Sandvik DD422i cria relatórios que simplificam o treinamento do operador e ajudam a solucionar quaisquer problemas potenciais de desempenho humano na perfuração que possam surgir.

“Os relatórios que ele gera são extraordinários. Possuem mais informações do que você jamais poderia querer de cada corte, cada furo que o equipamento faz”, afirma Law. “Nós podemos identificar cada perfil e profundidade de furo e gerar um modelo 3D do corte que foi feito. Portanto, podemos nos sentar com os operadores se as coisas não estão funcionando e desenvolver um bom plano para corrigir quaisquer problemas que tivermos.”

Baseada no sucesso em Jundee, a Byrnecut já está introduzindo o jumbo Sandvik DD422i em outros contratos na Austrália e no exterior.

“Estamos obtendo um resultado melhor, com furos melhores. Nossa sobre-escavação é menor, então não estamos explorando terras que não deveríamos. O suporte terrestre é melhor, mais fácil de acionar”, resume Law. “Estamos eliminando muitos erros humanos da nossa mineração, e a automação é a chave para isso. Com base em nossa experiência até o momento, a frota de jumbos do futuro na Byrnecut será de Sandvik DD422i. Precisamos de algo para ficar à frente da concorrência e esse equipamento fornece isso.”

Jundee mina de ouro

A mina de ouro Jundee está localizada a 50 quilômetros de Wiluna e 1.150 quilômetros por estrada – ou 800 quilômetros em linha reta – de Perth, capital da Austrália Ocidental. Desde que a produção começou, em 1995, a mina produziu mais de 7 milhões de onças de ouro e atualmente tem uma vida útil de mais dez anos. Jundee é uma das quatro minas de ouro da Austrália Ocidental operadas pela Northern Star Resources, que está no caminho certo para produzir entre 485 mil e 515 mil onças no ano fiscal de 2017.